Portal do Cliente

2º via de boletos, rede de atendimento, imposto de renda, solicitações de tratamentos (dentistas e clínicas).

Associado Dentista Empresa Colaborador Corretor PF Corretor PJ Clínica

Após não achar calça no tamanho 64, jovem decide mudar e elimina 72 kg

Publicado em 25/01/2013 às 13h00


Muitas pessoas que sofrem com o excesso de peso usam certas situações do dia-a-dia como um fator determinante para darem um primeiro passo. No caso do mineiro Rafael Rocha Nascimento, de Araguari (MG), a falta de uma calça do seu tamanho em uma loja foi o gatilho necessário para o início da mudança no estilo de vida.

 

“Tinha 170 kg e estava morando em Brasília. Quando fui a uma loja, não tinha a calça no tamanho 64 e aquilo me deixou com raiva”, lembra o jovem. Na época com 21 anos, Rafael tinha dificuldade para comprar roupas e se sentia mal por nunca poder aproveitar as promoções nos shoppings para comprar peças bonitas. “Toda vez que eu gostava de algo, não tinha do meu tamanho. Era muito chato”, diz.

 

Após não achar a calça do seu tamanho, ele decidiu mudar. “Sempre fui gordinho e minha mãe já havia me levado a diversos nutricionistas, então eu sabia o que tinha que fazer, mas me faltava vergonha na cara”, conta. Com a mudança na alimentação e os exercícios físicos, ele conseguiu sair dos 170 kg para os 98 kg – 72 kg a menos na balança.

 

Mas a luta não foi fácil, principalmente no primeiro mês. “O começo é uma adaptação e a pessoa tem que ter força de vontade porque o resultado vale muito a pena”, recomenda Rafael. O mineiro, que até então não tinha nenhum tipo de disciplina na alimentação, teve que se acostumar a comer alimentos mais saudáveis em intervalos de 3 horas.

 

“Eu tinha o hábito de tomar 2 litros de refrigerante por dia. Às vezes, comia um pacote de chocolate inteiro em um dia só”, lembra Rafael. Para atingir seu objetivo, ele teve que abrir mão de tudo isso, e também das massas. “Passei a comer muita salada e fruta. Antes, eu era muito compulsivo, mas depois aprendi a me controlar”, avalia.

 

Já a atividade física, que começou com pequenas caminhadas no parque, foi cada vez mais se intensificando até que Rafael descobriu o muay thai. “No começo, corria e fazia natação. Mas depois, com o incentivo de 2 amigos, comecei no muay thai e hoje faço 2 horas de aula por dia”, conta o mineiro.

 

Mesmo aos sábados e domingos, ele nunca deixa de se exercitar. “Costumo nadar, jogar futebol ou até mesmo treinar em casa em um saco de pancada que comprei”, conta. A atividade física virou uma obrigação na vida de Rafael, que não se permite faltar. “Saio do trabalho às 17h30 e vou fazer exercício. Se deixo de ir um dia, já me sinto mal, me faz muita falta”, afirma.

Visualizar índices no site da ANS
Visualizar índices no site da ANS

Rua Amaury de Medeiros, 158 Derby, Recife, Pernambuco

Informações: (81) 3322.5858